Usuário:
Senha:  

 
   
  Institucional : Emergências Médicas  
   
   
   
   
   
Os primeiros dados sobre atendimento médico pré-hospitalar têm origem muito remota, e é difícil saber precisamente quando começou.

Cansados de levar companheiros feridos de guerra nas costas, o homem antigo utilizava uma simples carroça puxada por cavalos, levando-os a um centro assistencial.
Por volta de 1760, durante as guerras napoleônicas, os franceses julgaram menos perigoso trasladar seus soldados para a retaguarda do que por em risco os escassos médicos no front.
Nesta época, certas carroças receberam o nome de ambulâncias (da raiz francesa "ambulant" que significa aquele que deambula ou caminha).

As ambulâncias evoluíram, e no começo do último século tornaram-se veículos motorizados. Seu uso tornou-se mais comum, mas o conceito ainda era simplesmente transportar rapidamente o ferido a algum centro de tratamento, sem dar o atendimento necessário no local. Somente após muito tempo é que a medicina pré-hospitalar transformou-se no complexo sistema que vemos hoje.
O conceito do atendimento de emergência nasceu por volta de 1940, com o corpo de bombeiros iniciando os primeiros cuidados enquanto o doente era trasladado.

Em 1960 a academia nacional de ciências introduziu normas para os cuidados durante o resgate, transporte e transferência. Em 1962, nos Estados Unidos, criou-se o primeiro serviço semelhante ao que conhecemos hoje, concomitante com o primeiro curso de formação de técnicos em emergências.

As primeiras ações para o desenvolvimento das emergências médicas voltaram-se para tratamento de arritmias graves e mortes súbitas conseqüentes de problemas cardíacos, evitando mortes durante a primeira hora do aparecimento de sintomas.
Com a experiência nas guerras da Coréia e do Vietnam, o resgate de graves pacientes avançou muito no que diz respeito ao tratamento precoce destes feridos,melhorando o prognóstico e a sobrevida nos campos de batalha.

A partir desta experiência, os sistemas civis de atendimento pré-hospitalar incorporaram recursos e tecnologias que permitiram melhor assistência em menor tempo. Ocorre uma maior especialização e melhor formação dos profissionais da área. A capacidade assistencial aumenta e passa a cobrir os mais variados casos de emergência, nascendo então o conceito de resolver o problema no local, sem deslocar o paciente.

No Brasil, este conceito foi importado no início da década de 90, com a chegada de grandes grupos estrangeiros, implantando suas bases em Curitiba e Brasília.
A instalação da primeira base operacional do SAT aconteceu em Porto Seguro/BA no ano de 1997 a fim de atender ao exigente público de turismo internacional. Posteriormente, em outubro de 2000, Fortaleza, importante pólo turístico, também acolheu a estrutura do SAT.

Atualmente o SAT - Emergências Médicas, uma empresa totalmente brasileira, orgulha-se de ser referência na prestação de serviços médicos emergenciais dos principais grupos seguradores internacionais. Com mais de 50.000 atendimentos prestados a este público, o SAT possui todas as credenciais necessárias para oferecer o melhor em medicina emergencial pré-hospitalar à sociedade brasileira.
     
 
 
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
   
     
   
     
 

Emergência

Risco (imediato) de morte iminente ou seqüelas graves.
Exemplo: Infarto Agudo do Miocárdio.

 
     
 
EMERGÊNCIA
Infarto agudo do miocárdio
Edema agudo pulmonar
Acidente vascular cerebral
Insuficiência respiratória aguda
Coma diabético
Hemorragia digestiva aguda
Hemorragia ginecológica aguda
Politraumatismo
Pancreatite
Emergências obstétricas
Intoxicações agudas graves
Afogamento por imersão
 
     
     
 

Urgência

Risco (mediato) de morte em curto prazo ou seqüelas graves no mesmo período.
Exemplo: Apendicite Aguda.

 
     
     
 
URGÊNCIA
Cólica hepato-biliar
Cólica renal
Mal asmático
Hipotensão
Crises hipertensivas
Traumatismos ou politraumatismos
sem perda de consciência
Insuficiência respiratória
Hipertermia ( febre com mais de 39 graus )
Cafaléia intensa
 
 
     
     
 

Atendimento Emergencial Pré Hospitalar

É o atendimento médico realizado na residência, hotel, ou outros locais. Procura resolver no local ou estabilizar para remover o paciente a um centro médico para continuidade do tratamento. Tem objetivo de tratamento, não de transporte.

Remoção

Traslado de pacientes sem objetivo de tratamento. Pode ser entre hospitais, domicílio-hospital e vice versa.

 
     
 
 
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
   
     
   
     
A Emergência Médica em nosso dia a dia

Apesar de todos os cuidados e precauções, a ocorrência de emergências é imprevisível. O dia a dia dos serviços médicos mostra que ninguém está isento. As dificuldades de uma pessoa querida, ou mesmo de um completo estranho sempre geram momentos dramáticos e de ansiedade, tanto para a vítima, como para todos os presentes. Acidentes, infecções, infartos, intoxicações, queimaduras e outras situações inesperadas podem ocorrer sem aviso, colocando vidas em sofrimento ou risco. Tais fatos provocam uma sensação de impotência nos responsáveis pela pessoa enferma.

 
     
     
EMERGÊNCIAS MÉDICAS
Importante:
95% das emergências médicas acontecem longe de um ambiente hospitalar, e o tempo de início do atendimento pode ser fator determinante para a vida do paciente, bem como para existência e/ou gravidade de seqüelas.
 
 
   
   
O que fazer frente a uma emergência?

Ao se deparar com uma emergência a maior parte da população não tem conhecimento de medidas que podem e devem ser tomadas por qualquer pessoa para ajudar a vítima. No entanto, muitas vezes a falta deste conhecimento básico pode causar problemas diversos tanto para quem tenta ajudar como para quem necessita de ajuda. Por isto o SAT destaca sempre a importância na educação da sociedade para a emergência médica.


A importância em prestar um socorro rápido e correto

Com o desenvolvimento dos serviços de emergência em todo o mundo, comprovou-se que grande parte do sucesso no tratamento de pessoas vítimas de algum tipo de emergência / urgência médica esta diretamente relacionado com o tempo em que o atendimento foi realizado, e com a correção das medidas tomadas.
     
     
 
IMPORTANTE
Em uma situação de Emergência Médica o primeiro atendimento rápido
e eficiente é fundamental.
 
     
     

Atender de forma rápida e correta em muitas vezes significa a vida de uma pessoa. O tempo para o primeiro atendimento é fator determinante para o sucesso de tratamento. Quando pessoas não habilitadas levam um paciente até o hospital, o tempo médio entre a emergência e o tratamento adequado é de 33 minutos, considerando o tempo de trajeto até o hospital, admissão, triagem e identificação dos sintomas. O risco de acidente no trânsito provocado pela ansiedade em chegar rápido deve ser considerado.

O atendimento ou remoção inadequada de pessoas enfermas compromete a evolução do paciente, e pode até mesmo trazer constrangimentos legais aos envolvidos. Por isso é fundamental que o primeiro atendimento seja realizado corretamente.

No sistema de atendimento médico emergencial o tempo médio para recebimento do tratamento adequado é de 16 minutos. Já no chamado, o atendente informa ao solicitante como este deve proceder até a chegada da equipe médica. O atendimento é imediato. Inicia com a ligação telefônica.

     
     
EMERGÊNCIAS MÉDICAS
Importante:
Estudos mostram que em uma emergência médica o tempo médio entre a ocorrência da emergência e o atendimento médico é de 33 minutos. No SAT - Emergências Médicas, assim que ocorre o chamado um atendente especializado inicia as orientações para a vítima até a chegada da equipe médica, em média de 16 minutos.